04/12/06

Memórias de Florença

Na cidade de Florença é sempre recomendada a visita às Uffizi – umas das mais extraordinárias galerias/museu do mundo. Quem entra na Piazza della Signoria, deixando nas costas a Catedral de Florença, sente-se dominado pela magnitude do Palazzo Vechio - acastanhado pela pedra à vista - e pela imponente torre ao centro da fachada. Ao sair da praça, na direcção do rio Arno, passamos entre La Loggia e a esquina do Palazzo, e entramos nas Uffizi - um edifício de Vasari, em U com 3 pisos. Caminhando ao longo deste, no piso térreo, chegamos a uma varanda na margem do Arno com vista sobre a Ponte Vecchio, à direita.
O filme de James Ivory, “Um quarto com vista” baseado no livro de E.M. Forster, ilustra muito bem este enquadramento urbano, incluindo também referências aos patos-bravos de guia na mão e pescoço levantado, que durante as poucas horas entre Veneza e Roma, são desempacotados em "Firenze" à procura do "essencial" florentino. Ou então, voltando aos filmes: “Paixão em Florença” de Philip Haas – “Up at the Villa”, baseado na obra de William Somerset Maugham.

A pouco mais de 300m do Palazzo, recomenda-se também a praça de Santa Croce, iniciática de todo o processo do renascimento, e também a basílica com o mesmo nome onde no magnífico interior se encontram sepultados: Miguel Ângelo, Dante, Galileu, Maquiavel, Rossini, entre outros ilustres florentinos. Nada mais, nada menos...
Florença é assim, ao contrário de Roma. Com algum ânimo (que não deve faltar, e alguma forma física) num raio de 3 kilómetros, percorremos, por entre os demais turistas (baixinhos e de olhos em bico..., seguindo fielmente os guias “palradores”), os 5% de património mundial classificado pela UNESCO. É impressionante esta densidade de obras-de-arte e de património arquitectónico, numa cidade com cerca de 350.000 habitantes.

Em Roma, mais vasta, para quem pretender fazer percursos a pé, deverá possuir preparação de “fundista”. Todavia, existe o metro que já ajuda alguma coisa, apesar dos despojos do império romano enterrados no sub-solo só terem permitido a construção de 2 linhas subterrâneas. (nota: foto retirada da Wikipedia)