16/06/08

Morte em Veneza - Thomas Mann

Gustav Aschenbach, compositor buguês alemão, passa uns dias de descanso no Lido - a frente marítima de Veneza. Durante aquele período, entre a vida do hotel e as actividades balneares, Aschenbach observa as lides de uma família polaca com especial interesse no jovem filho com cerca de 14 anos -Tadzio-, cuja beleza o atraiu de forma arrebatadora.
O estóico e respeitável burguês da Baviera, passa então a conviver com uma difícil coexistência entre a sua rígida consciência e os impulsos obscuros que tenta esconder do jovem polaco e sobretudo da sua família.
Há quem afirme que nesta obra, Thomas Mann faz uma excelente reprodução do declínio da aristocracia europeia e uma brilhante análise da solidão do homem à margem do social, porém, escravo das aparências.
Eu penso de igual forma. Há que reflectir e tirar ilações da sociedade que nos rodeia impondo convenções absurdas e ridículas que mantêm o indivíduo e a sua liberdade numa espécie de cativeiro. É um dos meus livros.

2 comentários:

Pedro disse...

Bem, está cá em casa, talvez ainda pegue nele... Pois só com o teu poste me senti atraído pela leitura.

V.F. disse...

Um dos clássicos que eu recomendo. Curto na tamnaho, denso no conteúdo.