22/05/07

Big Brother is Watching You

Acabei de sentir que a faceta de delator que os portugueses guardam, depois deste triste episódio do professor da DREN, (o tal que foi suspenso pela sua directora), acabou por ser despertada e até bastante acariciada, diga-se.
Hoje, depois de almoçar no sítio do costume, na hora de pagar o "estalajadeiro" desfere-me um comentário brejeiro e descarado acerca do pouco habitual peso da comida que eu acabara de consumir…; logo a seguir à entrada do “calvário” laboral, estando eu de cigarro na mão – coisa que nem faço muito -, sai outro golpe em denúncia da boca de um colega…
Depois destes "pitorescos" acontecimentos, ao olhar por exemplo, para a disfunção da RTP e lembrando-me dos telefonemas ministeriais no caso da licenciatura, ocorreu-me no momento – não sei porquê - a ideia de uma crescente ameaça à liberdade de expressão, à liberdade de imprensa, ao bem estar individual e claro, à liberdade de pensamento.
Era só o que faltava: em cada esquina um olhar atento e vigilante, em cada canto reflexos dos Ministérios da Verdade e do Amor cada vez menos ocultos.
Watch out...! Winston and "Zé Povinho" are watching you…

4 comentários:

Iceman disse...

Tou-te a ver, hum, atenção com o que fazes, zezezzzz, hum?

Tristeza!

V.F. disse...

Só de imaginar que no meu local de trabalho tinha que olhar para o lado antes de falar, dá-me náuseas...
Agora na Antena 1, ia haver um fórum sobre a liberdade de expressão, após este caso. Gostava de ouvir, mas não posso,...ainda sou acusado por falta de produtividade
:)

Cazento disse...

Ó Víctor, pode ouvir o forum enquanto trabalha. Lol!!

Eu também ouvi esta notícia ontem, por acaso logo depois de o Víctor me ter deixado aquele comentário no outro lado, daí a relação.

Estou perfeitamente de acordo consigo, no entanto, como funcionários públicos que ambos somos, penso que também o Víctor, tal como eu, deve ter recebido um e-mail ou um comunicado com a versão dos factos da sr.ª Directora.

Bom, eventualmente não o recebeu ou tê-lo-ia referido no post.

Quanto a mim a sr.ª directora devia ter esclarecido cabalmente o conteúdo da expressão, declaração ou o que seja, que deu origem ao incidente, para que se possa ajuizar melhor. Assim o que acontece é andarem por aí várias versões em favor de um ou de outro lado.

Ou seja: afinal de contas o que é que o homem disse e em que contexto é que o disse?

Um abraço

V.F. disse...

Com o auricular no telemóvel posso.

João, eu não teria tantas certezas acerca disso. Não confirmo nem desminto.

O que deu origem ao post foi a suspensão do funcionário, no entanto este estado de coisas, este clima de vigilânca atenta em torno do caso da licenciatura, algum jornalismo pouco "incisivo", sobretudo na RTP, é que eu quero sublinhar.
De resto concordo consigo, é fácil embarcar na demagogia fácil. Mas, mesmo não concordando com ela, penso que não se pode deixar passar as coisas em branco, é preciso falar sobre elas até que se saiba o que aconteceu ao certo. Este é um dos princípios basilares da "massa crítica", tão necessária que é, sobretudo agora que a oposição está inerte (no principal partido)...