10/05/07

É para levantar a Câmara, ou não?

Vamos lá ver o seguinte:
Helena Roseta prestou um excelente serviço à Ordem dos Arquitectos e à arquitectura. Como toda a gente sabe, deu a César o que é de César. E isso foi conseguido com competência própria e peso político.
Roseta, agora entregou o cartão de militante ao PS e vai-se candidatar à Câmara de Lisboa como independente. Ficou claro que o pretende fazer afastada da sombra dos partidos políticos, e na bagagem leva a experiência da autarquia de Cascais e uma mão-cheia de convicções. À partida, acredito nesse tipo de projectos que se desmarcam da linha de Gondomar/2005 e Oeiras/2005, entre outros...
É óbvio que para tal empreitada irá renunciar ao mandato como bastonária.
O seu desígnio à frente da Ordem terminou. É uma técnica que já é da velha guarda, os desafios são outros e a altura é certa para alguém mais jovem e com outro perfil.
Por isso, não percebo tanta algazarra. Perdeu com todas estas andanças algum mérito e rodagem nos últimos dias, e preferem, nesse caso, o Fontão de Carvalho? Ou, noutra análise, o Ricardo? hã?

2 comentários:

Anónimo disse...

Olha que se calhar o Sá Fernandes será posicionado ao lado da sr.ª arquitecta.
É bastante provável

ZT

V.F. disse...

A xôra arquitecta é uma candidata e pêras, à Câmara de Lisboa.
O PS que se cuide.