22/04/08

Blade Runner - A Rever

Na altura em que o vi, nos anos oitenta, para além de ainda não possuir grande sensibilidade para as artes, pouco ou nada sabia de cinema devido ao meio onde cresci. A cidade, durante muitos anos, só teve uma sala, e os vídeos não existiam, como tal, cinema só mesmo na televisão. Mas, apesar de existir somente o canal público, filmes, havia-os 2 vezes por semana: à quarta e ao sábado à noite.
No entanto, Blade Runner - Perigo Eminente -, marcou-me imenso pois acabei por descobrir na tela a verosímel possibilidade da clonagem de seres humanos, do homem no papel do criador. E, acima de tudo, a sensação de que muitas tecnologias estavam tão próximas, que era uma questão de anos e que em breve estaríamos a experimentá-las.
Todo esse futuro próximo, é apresentado no filme de Ridley Scott em atmosferas urbanas, decadentes e belas, de personagens bizarras, recriando visualmente o estilo dos mestres da literatura de ficção científica - Philip K. Dick, o autor do livro onde Scott foi beber. Contudo, as imagens, sobretudo as da última cena com Rutger Hauer - o Replicant -, recordam quão efémeros e pequenos nós somos no meio da imensidão do universo. E tão poucas vezes nos lembramos disso.
Estas lembranças sobre um dos filmes do meu top 10, veio a propósito disto.

1 comentário:

me esqueçam disse...

se decidir ver, veja a versão do diretor: aqui no submarino
http://www.submarino.com.br/dvds_productdetails.asp?Query=ProductPage&ProdTypeId=6&ProdId=21347217&ST=SE