13/10/06

Do dr. Correia de Campos

Acabei de ver o sr. Ministro Correia de Campos na RTP.


O homem é extremamente irritante porque fala quem nem um sonso mal disfarçado com aquele sotaquezinho beirão que não conseguiu soltar das beiças coisa que eu conheço muito bem e pior que isso é o ar de fleuma como quem dá pausadamente uma lição a quem o entrevista e a todo o português ignorante que ele louvou há cerca de 15 dias quando afirmou no primeiro avanço para as novas taxas que os portugueses não eram estúpidos. Enquanto escrevi isto parece que voltei a ter 16 anos e coragem e rebeldia suficientes para lhe espetar em Anadia às 6 da tarde uma "luva branca" naquelas faces rosadas e ficar de cronómetro na mão a olhar para ele ao ser levado de urgência e verificar se demorava menos que meia hora no trajecto para o hospital de Coimbra e 4 dias depois à saída constatar se havia alguma satisfação naquelas faces já recompostas ao passar o cheque para pagar a respectiva e santificada taxa moderadora. E claro ver o homem pronto para outra.

Bem, já passou. É preconceito, eu sei. Ou será por andar a ver muitos sketch´s dos Gato Fedorento?

Agora, a sério. O homem é de Viseu, de Torredeita mais concretamente, que é uma aldeia muito conhecida aqui no Concelho, e que por sua vez é vizinha de Farminhão - a aldeia do dr. Fernando Ruas. O quê? Não pensem que eles se dão, antes pelo contrário! Lembro-me que há uns meses, numa reunião da Assembleia Municipal de Viseu, o deputado municipal Correia de Campos ter incitado outro deputado do P.S. a levantar o tom numa acusação ensaiada e direccionada a Fernando Ruas. A coisa aqueceu e acabou com o presidente da Assembleia a dizer: «Cale-se», ao deputado. (
ver aqui)

Mas na pele de ministro da saúde, a julgar pela resposta dada a Judite de Sousa quando o interpelou acerca da diminuição – mais uma – da taxa de comparticipação nos medicamentos, Correia de Campos, meio surpreendido respondeu contrafeito, que nessa “matéria” a proposta contém “coisas positivas para os portugueses”. Coisas positivas é que não hão-de ser sr. Ministro!!! Com um governo obcecado com o défice, um orçamento para a saúde a emagrecer, e um ministro - dr. Correia de Campos -, técnico que é, a preocupar-se só com números e não com pessoas (os cidadãos)! Neste aspecto nunca me enganou. E infelizmente, este aspecto é a Saúde.

Aguardam-se novos episódios e provavelmente um agravamento da crise social... (francamente
espero que não)

6 comentários:

Anónimo disse...

Isso, desabafa homem!

ZT

V.F. disse...

-Tu pagas impostos pela venda dos teus serviços, é justo.
-Tu pagas impostos pela tua renda de um imóvel, é justo.
-Tu pagas (à empresa inter-municipal...) mais pelos tratamento dos resíduos sólidos urbanos do que pelo tratamento dos esgotos domésticos,... é justo... ( e isto não é medido pelos escalão do IRS).
-Tu ficas doente 2 semanas, o que não deves ser coisa meiga, e pagas.

Isto deixa-me triste, porque é triste não é?!

É pá, na saúde não, isso não...

Anónimo disse...

Compreendo os argumentos.
Porém, acaso o "homem" já não disse que ia diminuir o preço dos medicamentos?

AM disse...

sangue na guelra! 16 anos? seja :)

V.F. disse...

ilustre anónimo:
Os medicamentos comparticipados, nessa matéria são os únicos afectados; mas depois de apresentado este orçamento para 2007 mantenho as minhas reservas!
Aliás, tão endividado que o estado se encontra perante as farmácias, não sei como seria possível essa medida!

V.F. disse...

AM
Um abraço!
dentro de nós há sempre alguém com 16 anos!