04/04/07

Crime no Estádio

Realmente é verdade: ou eu sou um choninhas pasmado (eh, eh) e então tenho que me habituar à violência, às cadeiradas, aos petardos, ao unfair-play, e para continuar a ir aos estádios terei para isso que me converter às claques aceitando aquilo tudo a que eu assisti como normal, ou caso contrário, nunca mais irei ver um derby à Luz, ou a Alvalade ou ao Dragão!

Será que toda a gente discorda em casa, nos cafés ou no trabalho, destas cenas lamentáveis, e depois nos estádios com garrafas a sobrevoar as cabeças, insultos avulso, cachecóis obscenos, esquecem o que unanimemente disseram ser inadmissível acontecer...!? É espantoso!

Ok, já percebi, isto é um ritual encapotado, isto é qualquer coisa que se inspirou na filosofia do Fight Club, temos de encontrar o que existe em nós de mais genuinamente bestial, primordial, e só assim atingiremos o absoluto, o puro! Isto é um movimento de ajuda, solidário! Os super-dragões e os no name boys é que são felizes, esses é que se encontraram a eles próprios...

2 comentários:

V.F. disse...

Vi agora imagens inacreditáveis do M. United, pela CNN. A história é a mesma...
É incrível, pesooas que aparentam usar, no dia seguinte, um colarinho branco e gravata

AM disse...

uma coisa
eu ando meio desligado desta história do futebol, não vi o jogo, nem o resumo...
os média só repisaram nas imagens dos conflitos
não estou a defender qualquer tipo de auto-censura, mas custava noticiar as duas coisas?
elogiar, no futebol, o que faz a sua beleza, e nos comportamentos sociais o que é censurável
é o melhor combate